Financiamento Imobiliário

Pensando em comprar um apartamento?
Entenda como funciona um financiamento imobiliário

Depois de muito pensar e se organizar, você decidiu comprar um apartamento. Ao adquirir um imóvel, novo ou usado, uma das opções mais utilizadas pelos consumidores é o  financiamento imobiliário. Para se ter uma ideia, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), apesar da chegada da pandemia, 133.786 imóveis foram financiados por pessoas físicas no primeiro semestre de 2020, um aumento de 35,2% na comparação com os seis primeiros meses de 2019. A alta é a maior para o período dos últimos dez anos. Se essa também será sua opção, atenção, antes de mais nada, é importante ficar atento a todos os trâmites do processo, para tomar a decisão mais segura no caminho do lar dos sonhos.

Quais as opções existentes de financiamento imobiliário?

No Brasil, existem hoje dois sistemas de financiamento de imóveis: o SFH (Sistema Financeiro de Habitação) e o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), que funcionam basicamente como normas. Mas, qual a diferença de cada um deles na prática?

O SFH é o sistema de financiamento imobiliário mais utilizado no país. Nele, na compra de um imóvel, as operações permitem a utilização de valores depositados em conta do FGTS, o que não ocorre nas contratações pelo SFI. No SFH, o valor máximo de avaliação do imóvel é de R$ 1,5 milhão e  a taxa de juros máxima permitida é de 12% ao ano +TR. Além disso, as parcelas não podem comprometer mais de 30% da renda da família. Já no SFI, não existe limite nas taxas de juros, que são livremente definidas entre as partes, nem valor máximo de avaliação do imóvel e limite de renda comprometida. No SFI é possível pagar parcelas mais altas e quitar o financiamento mais rápido, porém, por ser variável, a taxa de juros pode ultrapassar os 12% do SFH. No país, ele funciona especialmente para investidores e para o mercado de alto padrão.

Casa Verde e Amarela

Entre as possibilidades, um dos programas que se encaixa dentro do sistema SFH, é o Casa Verde e Amarela, em que o Governo Federal facilita a aquisição do imóvel por meio da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil. Seu principal objetivo é promover o direito à moradia a famílias residentes em áreas urbanas, com renda mensal de até R$ 7.000,00. Entre as vantagens, estão a possibilidade de ter as menores taxas de juros da história do FGTS. Inclusive, moradores das regiões Norte e Nordeste do país, têm ainda mais benefícios quando se tratam das taxas de juros baixas. A intenção do programa é oferecer condições de pagamento e taxas de acordo com a renda familiar. Vale a pena simular o crédito imobiliário e checar se você se encaixa.

Outra opção, porém menos imediatista, é o consórcio. Nele, um grupo de pessoas, físicas ou jurídicas, faz uma espécie de poupança com um valor pré-determinado e pago em parcelas mensais. Uma administradora é a responsável por gerenciar esse dinheiro e no fim do pagamento das parcelas, os participantes recebem uma carta de crédito que pode ser utilizada na compra de um imóvel. Ademais, é possível comprar um apartamento e financiar diretamente com a construtora, o ideal para quem pretende adquirir imóveis de custos maiores e pode pagar as prestações em pouco tempo. Nessa modalidade, é possível dar uma entrada na compra do imóvel menor do que a exigida pelos bancos, além de existirem mais facilidades na hora de negociar parcelas em casos de imprevistos financeiros. Porém, nesse caso, a cobrança do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), leva a um aumento do preço final do imóvel. Algumas construtoras também oferecem financiamento direto com o banco por meio de parcerias.

Como funciona um financiamento imobiliário?

Em resumo, o processo do financiamento imobiliário é realizado pelos bancos, que pagam ao vendedor do imóvel a quantia estipulada. A partir daí, você, comprador, deve pagar ao banco que quitou sua dívida, em parcelas e com juros, a quantia em até 35 anos. Durante esse tempo, o imóvel está ligado ao comprador e não pode ser negociado. Até existem tipos de contratos que podem ser firmados durante um financiamento, porém, o mais comum é o contrato de compra e venda a prazo com pacto adjeto de alienação fiduciária. Nome comprido para dizer que o direito sobre o imóvel financiado é do banco até que toda a dívida seja quitada.

O primeiro passo antes de tomar a decisão de optar por esse crédito, é entender quais são as suas condições e em qual instituição financeira, pública ou privada, as opções são mais atraentes para o seu bolso. Na hora de comprar um apartamento, o que vai mudar de um banco para o outro são as condições de pagamento, as possibilidades de entrada, a duração do contrato e as taxas de juros. Ou seja, faça uma pesquisa minuciosa antes de tomar qualquer decisão. Não deixe de consultar um especialista no assunto, os chamados agentes credenciados aos bancos. De forma geral, este tipo de profissional não cobra nada de você, recebe de 0,4% a 0,7% do valor do financiamento, sendo pago direto pelo banco.

Já tem um banco escolhido? Então chegou a hora de solicitar o financiamento imobiliário. É só reunir a documentação original e apresentar a instituição, entre ela, estará o RG, CPF (do casal, quando for o caso), comprovante de estado civil, comprovante de residência e de renda mensal (holerites, extratos bancários e declaração do imposto de renda). Após uma análise, se não houver restrições em seu nome, a solicitação é aprovada. O apartamento a ser financiado será avaliado por um corretor ou engenheiro do banco, para que haja uma confirmação oficial do valor dele antes que qualquer contrato seja assinado. Você não precisa ser cliente de um determinado banco para tomar financiamento, mas caso seja, costuma-se oferecer taxas melhores, já que o banco pode traçar seu perfil de acordo com as informações que já tem.

Agora que você já sabe como funciona o financiamento imobiliário, que tal dar uma olhada nos nossos empreendimentos e dar o próximo passo em direção ao sonho da casa própria? Acesse nosso site e saiba mais!

Queremos te atender!

Preencha o formulário com seus dados, que retornaremos em breve!


*Campos obrigatórios

Imobol - Imobiliária Online

Vender um imóvel na Imobol é mais fácil do que você imagina.

VENDER MEU IMÓVEL